O papel dos pais na vida escolar dos filhos * Mãe de Adolescente

O papel dos pais na vida escolar dos filhos

0

Entender o papel dos pais na vida escolar dos filhos é fundamental para a educação dos filhos e para a própria relação entre pais e filhos, em si.

Sempre considerei muito importante estar envolvida ativamente na educação formal da minha filha.

Não apenas pelos estudos, mas também pela qualidade das experiências sociais que ela terá ali.

Vou dividir com vocês alguns tópicos que eu considero importantes para a relação dos pais com a escola:

 

 

1. Saber se envolver na medida certa

Esta é, talvez, a questão mais importante. Sabermos até que ponto devamos nos envolver nas situações sociais da vida escolar dos filhos.

Não podemos ser omissos e nem deixá-los à própria sorte, mas também não podemos interferir e tirar deles a autonomia.

Sempre que há alguma situação, eu tento interagir com a Gigi de forma que ela se sinta confortável, em primeiro lugar.

A partir daí, mensuro a que ponto devo me manter distante ou atuar, a exemplo do caso da professora que rasgou o trabalho dela, que contei recentemente.

 

2. Saber até que ponto se pode confiar nos filhos

Infelizmente não são apenas os filhos dos outros que mentem e erram. Então é importante sabermos até que ponto podemos confiar na versão dos nossos filhos ou não.

Temos que ter tato e ouvir sempre todas as partes, pois não se trata apenas da injustiça, mas também de reforçarmos, muitas vezes, comportamentos ruins dos nossos filhos.

É muito importante que pensemos nisto, pois as consequências disto, podem se voltar contra nós e contra eles mesmos.

 

3. Ter uma boa relação com professores e coordenadores

Eu não vejo como ser a mãe que sempre se altera, briga, discute e cria problemas seja positivo na vida dos filhos.

Primeiro, porque isto gera implicância e acaba gerando também problemas de socialização para eles com outros alunos.

Muitas vezes, os filhos acabam sendo apontados e excluídos por comportamentos nossos, ações que tomamos de cabeça quente e eles acabam pagando o preço.

Portanto, é sempre bom manter uma relação amigável e ponderada, mesmo que seja para discordar de ações deles.

 

4. Entender a dinâmica das relações

Já passou da hora de entendermos que cada relação é uma e que nossos filhos são indivíduos separados de nós.

Portanto, eles vão interagir diferente com o mundo e que temos que respeitar o modo deles interagirem e apenas orientá-los à razoabilidade.

Não cabe a nós discutir com o menino da sala que xingou nosso filho, nem tirar satisfações com a menina que o ignorou.

Temos que agir como pais, orientando-os a lidarem com as frustrações e somente em casos extremos, tomarmos as ações adequadas.

 

Conclusão

Sempre procurei ter estes cuidados e até agora, tenho percebido resultados bem positivos, pois Gigi se sente capaz de resolver os próprios conflitos, mas a vontade para dividi-los comigo.

Isto me é muito gratificante, pois vejo que ela me considera apta a respeitar suas decisões e interferir somente quando vejo que há algum risco real.

Assim, a socialização dela é respeitada, a minha relação com a escola é a melhor possível e a minha relação com ela também.

E você, como lidar com a relação escolar? Tem alguma outra recomendação ou ideia? Quer me contar mais a respeito?

 

Comments

comments

About Author

Mãe da Gigi, trabalho com marketing, amo tecnologia e simpatizo muito com o lado nerd da cultura pop. Hard user de redes sociais, adoro escrever. Criadora do LogicaFeminina.com.br, colunista no EntreTodasAsCoisas.com.br e no Superela.com, também cuido de algumas contas de clientes por aí.

Comments are closed.