"Sua filha é muito nova para pintar os cabelos" * Mãe de Adolescente

“Sua filha é muito nova para pintar os cabelos”

0

Não é muito incomum ouvirmos a frase “muito nova para pintar os cabelos” e as explicações são as mais variadas.

“Sua filha é muito nova para pintar os cabelos”.

Algumas pessoas alegam que a química da tinta faz mal para o desenvolvimento, outras dizem que vai comprometer a formação de caráter e tem até as que dizem que ao pintarem os cabelos, miraculosamente, a pessoa se transforma em outra, muito pior.

Quando eu era adolescente, eu era louca para pintar os cabelos e minha mãe sempre me dava uma destas desculpas aí de cima para não deixar.

Ela conseguiu me segurar até que, aos 15, pintei cortei “joãozinho” e pintei de vermelho.

Desde então, nunca nasceram tentáculos e até o momento ainda não virei psicopata.

A filha dos outros…

Sempre procurei me livrar dos meus próprios preconceitos, especialmente os de julgar as filhas dos outros.

Via meninas de 12, 13 anos de cabelos coloridos e procurava exercitar o livramento da mente, afinal, não é da minha conta.

Ao mesmo tempo, percebia o tamanho do desconforto das mães que permitiam.

Elas se sentiam quase que obrigadas a darem satisfação a cada ser que passava.

Foi neste momento que percebi o quanto as pessoas se sentem donas da vida e das decisões alheias.

A minha filha pintou os cabelos aos 13

A Gi queria porque queria pintar os cabelos.

No começo, fui reticente: “Ah, mas vão me encher o saco”, “Não sei se atrapalham os hormônios”, etc.

Mesmo ainda não permitindo, fui atrás para me informar. Pediatra, cabeleireiros, farmacêuticos.

As opiniões eram diversas, mas a maioria dizia que com produtos adequados à idade, não haveriam problemas.

A não ser que ela apresentasse alergia, mas aí não teria a ver com a idade ou fase hormonal.

Assim, comecei a cogitar permitir.

Criei coragem e deixei.

Pintamos em casa

Pintamos os cabelos dela em casa com aquelas tintas pink.

Ficou “maravilhoso”. Mentira, ficou uma bosta.

Mas era o que dava para fazermos, diante de nossas possibilidades de gasto.

Assim, ela pintou depois de azul, de verde e roxo, até que finalmente deixou toda a tinta sair para voltar ao castanho, mas desta vez, escuro.

E olha que ainda não nasceram tentáculos nela também.

O que as pessoas dizem

Óbvio que as pessoas não ficam sem dizer nada.

E geralmente são pessoas que não tem nada a ver com nada, as que dizem.

Mas desta vez, resolvi dar a cada um, as respostas que mereciam.

Seguem alguns exemplos:

“Nossa, mas tão nova e você já deixou pintar?”

– Não. Eu não deixei, não. Ela caiu na tinta rosa sem querer.

“Se fosse minha filha, só pintaria depois dos 18”

– Entendo. É porque cada mãe conhece a maturidade da filha. Tem umas que nem aos 50 tem, enquanto outras, com 13 já tem maturidade de sobra, inclusive pra não se meterem onde não são chamadas.

“Começa com os cabelos. Daqui uns meses está cheia de piercing e tatuagens”

– Verdade! Já marcamos duas sessões de tattoo. Ela vai fazer uma caveira da morte nas costas e um demônio na nádega. Vai ficar show!

“Credo. Que tipo de mãe deixa a filha de 13 anos pintar os cabelos?”

– O tipo de mãe que pode dar atenção a cada passo da própria filha porque não está ocupada se metendo na vida da filha dos outros.

E assim vai…

E a cada comentário, foi disso para baixo, o que respondi. E assim será para todas as questões vindas de quem não tem nada a ver com a nossa vida.

#PAZ ♥

Comments

comments

About Author

Mãe da Gigi, trabalho com marketing, amo tecnologia e simpatizo muito com o lado nerd da cultura pop. Hard user de redes sociais, adoro escrever. Criadora do LogicaFeminina.com.br, colunista no EntreTodasAsCoisas.com.br e no Superela.com, também cuido de algumas contas de clientes por aí.

Comments are closed.