Como encontrar a escola certa para o seu filho • Mãe de Adolescente

Dicas para encontrar a escola certa para o seu filho

É comum que pais se sintam inseguros e com muitas dificuldades para encontrar a escola certa para o seu filho.

Muitas vezes, essas dificuldades acontecem porque não fazemos as perguntas corretas, logo acabamos não encontrando as melhores respostas.

Para ajudar, vou criar dicas de como elaborar um check-in de como encontrar a escola certa para o seu filho

Metodologia de Ensino

Entender metodologia de ensino é muito importante para que você possa escolher a melhor opção para o seu filho.

Em geral, a maioria das metodologias são (ou parecem ser) boas, contudo sempre tem as que se encaixam melhor nos planos dos pais e dos próprios filhos para o que almejam no futuro.

Algumas metodologias, por exemplo, são mais focadas na mera formação acadêmica, o que tem seu valor, mas ao meu ver não é a única coisa importante.

Eu valorizo muito as metodologias que visam a formação do indivíduo e a preparação para um futuro empreendedor.

Número de alunos na sala de aula

Está aí um quesito que eu achava importante, porém não era uma prioridade. Hoje é!

Após anos da minha filha estudando em escola pública e vendo que muitos dos problemas se dão justamente pelo número excessivo de alunos em cada sala, passei a ver este quesito como um dos mais importantes.

Quanto menos alunos em sala, melhor!

Depois de um certo ponto, o professor passa a não ser a única autoridade da sala, já que os alunos mais ousados se sobressaem aos demais, influenciando-os.

Coisa que em salas com menos alunos, geralmente não acontece, porque o professor tem contato direto com todos eles, o tempo todo.

Disponibilidade de diretoria e coordenadoria

Bom, eu gosto de participar ativamente da vida escolar da minha filha, então preciso me sentir acolhida pela diretoria e coordenadoria de ensino sempre que eu sentir necessidade.

Gosto de saber como é a relação da Gi com os professores, com a escola, com os demais alunos, como posso ajudar a melhorar o desenvolvimento dela e também da sociedade escolar, como um todo.

Sempre que possível, me ofereço para ajudar e participo ativamente das atividades, então é muito importante para mim que a diretoria e a coordenadoria estejam sempre que possível disponíveis.

Bons dos professores

Não sou do tipo academicista e acredito de verdade que nem todo mundo precise de uma formação formal para ensinar muito para outras pessoas.

No entanto, quando se fala de alguém ensinando, cuidando e servindo de referência para a minha filha, é mais do que óbvio que eu espero que sejam pessoas que tenham um bom currículo e ótima referência.

Contudo, considero primordial que os professores de hoje sejam capazes de exercer influência positiva na vida dos alunos, de forma que estes se sintam inspirados por eles.

Horário das aulas

Bem, quanto mais tempo o aluno passa na escola, desde que com atividades de qualidade, melhor.

Ele está em ambiente propício ao aprendizado e desenvolvimento, convivendo com pessoas de sua idade, porém com certo grau de disciplina.

Assim, eu aprecio bastante escolas com ensino semi-integral, porque além do aluno estar mais tempo na escola, por óbvio, estará absorvendo mais do conhecimento, dedicando mais tempo ao próprio desenvolvimento e menos a coisas que não trazem benefícios a eles.

Cardápio

Este quesito se tornou importante para mim depois que a Gi desenvolveu uma gastrite.

A partir deste dia, passou a ser importante observar o que ela terá disponível para comer e como a Gi come merenda todo dia, tenho que ficar mais do que atenta.

Quanto mais variado, natural e balanceado é o cardápio escolar, melhor!

Tendo opções saudáveis, eu já fico bem feliz.

Distância de casa

Apesar de não ser primordial, é uma questão importante, afinal não tem como a Gi estudar a 4 horas de ida e 4 de volta de casa.

Contudo, se for preciso que ela pegue 30 minutos de ônibus, por exemplo, para estar numa escola melhor: ela vai!

O mais importante, ao meu ver, não é distância em si. É ter acesso fácil.

Tendo ônibus na região, está resolvido.

Preço das mensalidades

Este me parecia um fator determinante, até eu saber que em algumas escolas (boas) é possível conversar e encontrar soluções de adaptação para que o seu filho possa estudar lá.

Bolsas de ensino, descontos,  parcerias, permutas. Tudo vai de conversar e de demonstrar o interesse em manter o seu filho naquela instituição, em específico.

Sempre vale a pena conversar e tentar!

Uniforme obrigatório

Outra coisa que sinto falta, com a Gi estudando em escola pública.

Como não é obrigatório, acabo não conseguindo fazê-la usar uniforme e aí ela acaba usando roupas de sair para ir à escola.

Fora que muitas vezes escolhe uns modelitos meio inadequados para as atividades escolares, especialmente em dia de Educação Física, por exemplo, usando calça jeans.

Com a própria escola exigindo o uso do uniforme, fica mais fácil, porque aí ela não tem como debater e apenas vai.

Atividades Extracurriculares

Escolas particulares costumam ter atividades extra que complementam a grade tradicional, o que ajuda muito os alunos e os mantém ainda mais envolvidos com os processos de aprendizagem.

Gosto de escolas que ofereçam atividades tanto mentais como físicas, para que os alunos possam desenvolver habilidades de raciocínio e motoras de forma equilibrada.

Também é legal quando a escola possui atividades extra de recreação, assim o aluno não vê a escola apenas como aquele lugar onde ele vai estudar.

Atividades para os pais e a família

Outra coisa que acho muito legal, é a forma como a escola integra a família do aluno.

Muitas escolas não se preocupam com isto, mas para algumas, faz parte da metodologia de ensino que os pais e a família participem de atividades de recreação, de troca de experiência e formação etc.

Pensando nisto, valorizo muito escolas que reforcem essas iniciativas e tragam para dentro do seu espaço a família dos alunos.

Acolhimento e apoio aos alunos

A escola tem que ser um lugar para o aluno se sentir seguro, acolhido e apoiado.

Onde ele possa contar o que está sofrendo sem medo que isto o complique com os pais, onde ele possa se sentir a vontade para procurar ajuda, tirar dúvidas e buscar apoio.

Infelizmente, nem toda escola tem isto, mas valorizo muito as que tem.

Onde o seu filho se sinta bem

É importante frisar que a opinião do filho é prioritária.

Não adianta escolher a escola mais barata, sendo que lá o seu filho se sentirá mal, incapaz de aproveitar e de conviver com os demais alunos.

Muitas vezes, vale a pena pagar um pouquinho mais e ter a absoluta certeza de que ele estará feliz com a sua escolha.

Afinal, escola não tem que ser um lugar horrível para os alunos. Pelo contrário….

Concluindo…

A escola certa para o seu filho, é aquela onde ele se sinta a vontade e você se sinta segura em deixa-lo lá.

Onde você fique tranquila durante o período que ele vai passar na escola. Certa de que ele sairá de lá um indivíduo melhor a cada dia.

Vale cada esforço para ampliar as chances dos nossos filhos de terem um futuro melhor e para isto, é importante escolher a melhor escola!

Me tornei mãe aos 24 anos, um ano após ter perdido a minha mãe. Tudo ia bem, quando aos 29, fiquei viúva de forma trágica e me vi como mãe solo. Aos 33, conheci o meu atual marido e aos 35, minha filha (com 10 anos na época) sofreu um acidente num pula-pula que a deixou 7 meses em uma cadeira de rodas e com grandes chances de sequela. Após dois anos do acidente, resolvi criar o blog e aqui estamos, vivendo juntas a emoção da maternidade durante a fase da adolescência. Mas não só isto!

Comments

comments



Comments are closed.