Completei 38 e tenho medo de envelhecer • Mãe de Adolescente

Ontem (15/05), completei 38 e descobri que tenho medo de envelhecer.

Até poucos anos atrás, isto não me afligia. Eu, na verdade, sequer pensava em envelhecer.

Como nunca fui muito fã de comemorar aniversário, sempre acabou me passando despercebido, o motivo de aniversariar.

No entanto, este ano bateu o medo…

E, pior, me dei conta do quanto já envelheci.

Percebi que o tempo é implacável e que eu sou mais insegura do que pensava.

O quanto já envelheci

Sendo bem honesta, o que mais me deu aperto é me dar conta do quanto envelheci, especialmente nos últimos 3 anos.

Me sinto tão insegura por ter engordado, por estar mais flácida, com as manchas e melasmas no rosto, por estar menos flexível, etc.

Marido 12 anos mais novo

Eu realmente não tenho sabido lidar com o tempo e tudo piora quando lembro que meu marido é doze anos mais novo que eu.

Sim, porque isto me obriga a pensar que em algum momento de nossas vidas eu já estarei uma uva passa e ele ainda lá, todo galã.

Eu sofro calada…

As pessoas nem percebem o quanto são cruéis

Outra coisa que tenho tido dificuldades para lidar, são as pessoas e suas observações.

Vira e mexe alguém faz algum comentário, especialmente comparando minha aparência de alguns anos para a de agora.

Ou então sobre a diferença de idade entre o Dressler e eu.

Isto me faz tão mal, mas eu tento administrar internamente, lidar com isto comigo mesma.

Tem sido difícil, mas até que estou dando conta.

As pessoas te tratam diferente

Quando você se torna a pessoa mais velha da turma ou uma das, as pessoas tratem diferente.

Elas não fazem a mesma questão.

É bizarro, mas tão bizarro que nem sei como explicar.

Sem falar que você passa a gostar de coisas que a maioria delas não gosta e quando você fala disso, elas simplesmente tentam te calar para falarem do que gostam, apenas.

Este é um dos motivos que me faz querer estar entre pessoas mais velhas, ultimamente.

Para me sentir parte e para ser capaz de oferecer a eles este acolhimento do qual já sinto falta quando estou entre pessoas mais jovens.

Eu tenho muito medo de envelhecer e hoje entendo perfeitamente porque nossos avós sentem tanto medo do esquecimento.

Porque ele é real, ele acontece e começa muito antes do que eu imaginava.

 

Me tornei mãe aos 24 anos, um ano após ter perdido a minha mãe. Tudo ia bem, quando aos 29, fiquei viúva de forma trágica e me vi como mãe solo. Aos 33, conheci o meu atual marido e aos 35, minha filha (com 10 anos na época) sofreu um acidente num pula-pula que a deixou 7 meses em uma cadeira de rodas e com grandes chances de sequela. Após dois anos do acidente, resolvi criar o blog e aqui estamos, vivendo juntas a emoção da maternidade durante a fase da adolescência. Mas não só isto!

Comments

comments