O que o meme CRINGE ensina sobre os nossos filhos adolescentes?

0

O meme CRINGE tem rolado há alguns dias e tem gerado tanto boas risadas como belos conflitos nas redes sociais.

Como todo bom meme, o meme CRINGE surgiu “do nada” e ganhou repercussão em todas as redes sociais, gerando risadas, mas também gerando alguns conflitos para quem não soube aproveitar a onda.

Bom, como todo conteúdo da internet, o meme CRINGE também tem seu lado bom e o seu lado ruim, que nesse caso foi só um bando de adultos se comportando feito adolescentes mimados, na verdade.

Mas é bom que tiremos máximo proveito de tudo, até pra dar exemplo aos adolescentes, né? Então vamos tirar um bom proveito do meme CRINGE também!

Mas, primeiro:

O que é o meme CRINGE?

Ao que se sabe, a palavra CRINGE parece derivar do inglês e significa algo como VERGONHOSO, e em geral é usado para se referir a atitudes que nós, Millenials (os tiozinhos, adultos, no caso), chamaríamos de , UM SACO, ou algo PAIA ou TRASH.

Por exemplo:

“Nossa, mãe, mó cringe esse óculos, credo!”

Que pra nós teria sido:

“Nossa, mãe, mó paia esse óculos, credo!”

Agora que ficou claro que significa o meme CRINGE, bora entender como ele pode nos ajudar a entender melhor as coisas.

O que podemos aprender sobre os adolescentes com o meme CRINGE?

A primeira grande lição é:

Adolescente continua sendo adolescente, assim como era na nossa geração e nas anteriores.

Você foi adolescente e achou as coisas que os seus pais dizia e fazia “um saco” e só agora, depois de adulto, percebe que tinha uma certa razão. Mesmo assim, nem tudo!

Agora é a vez de você ser pai/mãe e os filhos serem filhos.

Então não adianta você ficar em choque e criar um auê cada vez que os filhos acharem algo seu cringe, porque é mais do que natural.

Além do mais, é importante frisar que ao aceitarmos isso, passamos a ter acesso maior aos adolescentes, que passam a nos ver com aqueles famosos olhos de “Olha! Ele é cringe, mas é legal, porque não fica surtado por isso”.

E tem também o fato de que, ao ver o que os adolescentes acham cringe ou não, a gente tem dicas daquilo que ele gosta ou não, fazendo com que fiquemos mais atentos a eles.

E sobre nós mesmos, o que o meme CRINGE ensina?

O meme CRINGE nos ensina que o tempo passa, o tempo voa e nem sempre a poupança Bamerindus continua numa boa, porque tem gente que se abala por bem pouco, né?

A gente percebe que tem muito mais dos nossos pais em nós mesmos e também entende como eles nos viam como xaropes, que era o cringe da época deles, no caso.

Aprendemos que se formos ficar nos doendo por besteiras, nos tornamos mais do cringe. Nos tornamos pais e adultos inflexíveis e inacessíveis, que era justamente uma das piores coisas da maioria dos pais da nossa geração.

Então, além de aproveitarmos esse momento para conhecermos melhor nossos adolescentes, podemos aproveitar para nos divertir.

Afinal, a gente é cringe, mas é gente boa!

Conflito de gerações que chama!

Os conflitos de gerações sempre existiram e, entre a nossa e a dos nossos filhos, o que piora tudo é a internet.

Porque antes, quando éramos adolescentes, conseguíamos reclamar dos nossos pais e das suas breguices sem que eles estivessem presentes nos mesmos espaços.

Hoje em dia, as gerações se esbarram nos mesmos lugares da internet e isso pode gerar um atrito maior do que era até então.

Isso pode até fazer o conflito dessas gerações atuais maior do que as anteriores, mas não é!

É só que agora nossos filhos adolescentes são obrigados a conviver com os nossos posts cringe e nós, com as dancinhas tiktokers deles.

Mas eles ainda tem um espaço sagrado onde só eles mesmos entram: o dix!

Mas isso é assunto para outro post…

Como interagir com mais gente cringe como nós?

Bom, é sempre bom estar entre os cringe pra falar de coisas cringe sem ser julgado, né?

Eu recentemente criei um grupo exclusivo para mãe de adolescente, onde, além de conteúdos exclusivos, também teremos rodas de conversa mensais no Meet.

O grupo ainda está em fase final de desenvolvimento, mas a ideia é começar na primeira quinzena de julho com ao menos 5 pessoas.

Caso queira fazer parte, mande um alô por inbox no meu instagram @ThatuNunes que assim que liberar te mando informações de como fazer parte.

Enquanto isso, bora interagir nos posts do meu instagram. Segue lá!

Você pode gostar também:

About Author

Me tornei mãe aos 24 anos, um ano após ter perdido a minha mãe. Tudo ia bem, quando aos 29, fiquei viúva de forma trágica e me vi como mãe solo. Aos 33, conheci o meu atual marido e aos 35, minha filha (com 10 anos na época) sofreu um acidente num pula-pula que a deixou 7 meses em uma cadeira de rodas e com grandes chances de sequela. Após dois anos do acidente, resolvi criar o blog e aqui estamos, vivendo juntas a emoção da maternidade durante a fase da adolescência. Mas não só isto!

Comments are closed.

Primeiro namoro da filha: como lidar? Por que adolescentes mentem?