Um olhar atento para a mãe viúva * Mãe de Adolescente

Um olhar atento para a mãe viúva

1

Há tempos que ensaio para falar das complicações de ser mãe viúva e finalmente acho que chegou a hora.

Primeiro, porque ninguém sequer lembra da mãe viúva, mesmo no ambiente materno.

Segundo, porque recentemente, vi algumas mães solo falando de suas dificuldades em criar filhos e, em algum momento, excluindo a mãe viúva ou minimizando suas dificuldades.

Acontece que para a mãe viúva, as dificuldades são no mínimo iguais às de qualquer outro tipo de mãe solo.

Eu nem vou dizer que são maiores, porque a minha ideia não é de fazer o mesmo que as mães solo que vi, fizeram com as mães viúvas.

Pelo contrário, é apenas propor que olhem com mais carinho e atenção, sem esta exclusão descabida.

Então vou falar enquanto mãe viúva que sou (aqui, um post explicando como e quando fiquei viúva).

Então vamos lá:

1. A mãe viúva também está sozinha

Assim como uma mãe solo que se sente abandonada pelo pai da criança, a mãe viúva também está só nesta empreitada.

Ela também vai sentir dificuldades nas festas escolares, nas reuniões familiares, na educação diária e, claro, nas questões financeiras.

 

2. Assim como a mãe solo, ela pode até ter ajuda. Mas é apenas uma AJUDA.

Também como a mãe solo, a mãe viúva pode receber ajuda, seja finaceira, social, afetiva ou o que for, mas não passa de ajuda.

Ou seja, não passam de pessoas que estão ali, mas só até quando quiserem estar e desde que ela atenda às expectativas daquela ou daquelas pessoas.

A mãe viúva também “deverá favores eternos” a quem ajudar.

 

3. A mãe viúva também sofre preconceito na sociedade

Tanto sofre que nem mesmo as próprias mães solo às percebem como mães solo que são.

Na hora de falar delas, minimizam suas dificuldades na maternidade, como se para elas fosse tudo mais fácil.

Mas não é!

Aliás, eu até arrisco a dizer que vão surgir complicações que muitas mães solo não tem.

 

4. A mãe viúva é oprimida pela sociedade a atender comportamentos que eles querem

A mãe viúva tem todo um “código social” a cumprir, mesmo que isto implique nela deixar de ser quem é.

Mesmo que isto implique nela desencadear depressão ou sofrimento psicológico.

Ela sofre cobranças e a criação dos filhos passa a ser “compartilhada” com parentes do falecido, como se eles tivessem tomado o lugar do pai nas decisões paternais.

 

5. A mãe viúva não tem direito à vida própria

Assim como no item 4, ela não tem mais direito a si mesma.

Não pode mais sentir nada por outra pessoa, sob pena de sofrer retaliações da família dela e do falecido, isto quando não da família da pessoa que ela escolhe partilhar.

Não pertence mais a ela o direito de ser indivíduo, de ir e vir, de criar os filhos como acha que deve.

E se ela tomar atitudes que possam resultar em erros, coitada.

Ela passa a ser a única culpada de tudo, mesmo que ela tome decisões 100% ditadas pelos parentes e amigos, por exemplo.

 

Conclusão:

A conclusão aqui é a de que as mães viúvas são um grupo a parte até mesmo das mães.

Elas vivem constante julgamento, seja por parentes, amigos, seja por outras mães.

Eu, como poucas, tive MUITA sorte de não ter que me submeter a tanto julgamento da parte dos parentes.

Mas infelizmente, 90% das mães viúvas sofrem e acabam sucumbindo, abrindo mão de si, do que sentem, dos sonhos e dos desejos.

Tornam-se pessoas que vivem meramente em função dos filhos e desses parentes, apenas.

Então, por favor, olhem com mais carinho para as mães viúvas.

São mulheres que merecem respeito, porque suas lutas não são menores ou mais fáceis do que a de qualquer outra mãe, seja mãe solo ou mãe casada.

Comments

comments

About Author

Mãe da Gigi, trabalho com marketing, amo tecnologia e simpatizo muito com o lado nerd da cultura pop. Hard user de redes sociais, adoro escrever. Criadora do LogicaFeminina.com.br, colunista no EntreTodasAsCoisas.com.br e no Superela.com, também cuido de algumas contas de clientes por aí.