Carnaval para adolescentes: dicas maternas | Mãe de Adolescente

Não é fácil encontrar algum lugar que tenha um bom e seguro carnaval para adolescentes

Desde o ano passado que eu busco alguma opção de carnaval para adolescentes no ABC Paulista que me faça sentir segura para deixar a Gigi ir.

A realidade é que, para mim, carnaval adolescente deveria ser em casa, jogando vídeo-game com os amigos, então nada me faria sentir segura nesta hora.

Mas, nós tivemos filhos para que eles pudessem crescer e terem vida, então lá vamos nós fazer um carnaval para adolescentes acontecer, não é mesmo?

Deixar ou não deixar ir ao bloquinho?

Bom, eu não estou aqui para ditar regras para ninguém, então vou falar apenas POR MIM, ok?

No meu caso, o ano passado eu conversei com a Gi e disse que não me sentia segura nem preparada para deixa-la ir e me ofereci para ir junto.

Como estávamos vivendo um momento tenso da nossa relação, ela acabou desistindo de ir por si mesma, mediante a oferta.

Afinal, era uma condição: ou eu ia junto ou ela não iria.

Neste ano, eu conversei novamente e ela estava com vontade de ir, mas como o namorado mora na rota dos bloquinhos e odeia, ele acabou me ajudando a convencê-la de que bloquinho não é o tipo de carnaval para adolescentes mais adequado.

Carnaval no clube, pode?

Bom, nos mudamos há alguns dias e viemos morar lado de um conceituado clube.

E aí que, claro, ela já foi procurar saber como era o carnaval lá e eles tem excelente fama de serem rígidos com segurança, de não ter brigas há anos, etc.

Além de tudo, é baratíssimo (R$ 10), então só me restou deixa-la ir 1 dos dias.

Confesso que ainda penso em ir junto, mas vou elaborar isto até a hora dela ir. Quero tentar deixa-la ir só com amigas. Vamos ver!

Roupas de carnaval

Bom, aqui a maioria das mães e pais mais conservadoras vão torcer o nariz para mim, mas eu realmente acho que não são as mulheres que precisam se privar de vestir o que quiserem e, sim, os homens que tem que se privar de serem abusivos.

Então, para mim, a roupa certa para o carnaval é a roupa que eles quiserem usar no carnaval.

A Gi ama shortinho, blusinha, tule e etc. E eu super amava também.

Então não teria nem cabimento eu achar que ela devesse usar algo que não o que ela gosta!

A única restrição que eu realmente faço é a do calçado. Só pode tênis.

Documentos e celular

A regra é clara: sem documento ninguém sai!

Mas como é deixar o adolescente sair sem celular? E se precisarmos nos comunicar?

E é aí que mora o maior conflito carnavalesco da minha cabeça: como deixar a Gi sair sem celular?

Então eu acabo sempre optando por deixa-la levar um mais velhinho, que chame menos atenção, assim eu posso ter notícias dela e me comunicar e ela não corre tanto risco de roubarem ou, se roubarem, o prejuízo é menor.

A hora de voltar para casa

Bom, eu não gosto da Gi zanzando de madrugada por aí nem em dias normais, então não deixaria no carnaval.

Claro que é uma opção de cada pai e mãe, mas ao meu ver, a madrugada oferece dificuldades, como falta de transporte, dificuldades para encontrar ajuda, socorro etc, que durante o dia não são preocupações, por isso não acho adequado.

Para mim, o mais tarde que a Gi pode ficar fora é às 22h. Depois disso, fora de cogitação.

Transporte

Nesta hora, o melhor é avaliar o transporte que ofereça menos desgaste para eles e, claro, qual será o transporte adotado pelos amigos.

Com amigos em grupo tudo fica mais seguro (geralmente).

De repente, dividirem um Uber possa ser uma opção (confira as minhas dicas para adolescentes usarem Uber com mais segurança).

Ou então pegarem trem ou ônibus todos juntos e os pais marcarem um ponto de encontro em comum pra buscarem todos, assim ninguém viaja sozinho depois que outros descerem.

Comida e bebida

Aqui eu sou bem rígida: só come e bebe o que levar de casa!

Primeiro, porque nesse calor não confio muito nos métodos de conservação dos vendedores. Segundo, porque não sabemos o preparo.

E para beber, apenas água trazida de casa, já que sabemos do perigo de colocarem coisa na bebida.

E, ÓBVIO: nada de bebidas alcoólicas!

Leve dinheiro e esqueça o cartão

O carnaval para adolescentes é bem semelhante ao dos adultos, neste aspecto.

Nada de pagar algo com cartão, porque são tantos riscos ao mesmo tempo que é melhor não arriscar.

Drogas e bebidas alcoólicas

Nunca é demais reforçar o porque deles não usarem drogas.

Primeiro, porque na idade deles é proibido.

Segundo que o uso de bebidas e drogas é como passar um cheque em branco para todo mundo que os cerca, ou seja, para desconhecidos.

E não adianta dizer que os amigos vão defender ou proteger, porque adolescentes mal conseguem ser responsáveis por si mesmos, quanto mais uns pelos outros.

Então a regra é muitíssimo clara e inegociável: sem drogas e sem bebidas. Ou, então, nada de carnaval para adolescentes!

Resumindo:

Dá pra ter um carnaval para adolescentes? Dá!

Mas é importante que ambas as partes, tanto pais como adolescentes, cumpram seus papéis.

E, óbvio, que a medida da liberdade é a exata proporção da responsabilidade que o adolescente demonstra ao logo do ano todo.

Confira aqui algumas dicas da Cíntia Souza, da MMP Coaching para a revista Alto Astral sobre como lidar com filhos adolescentes no carnaval.

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.