Nem sempre dá para ser uma mãe legal • Mãe de Adolescente

Infelizmente, nem sempre dá para ser uma mãe legal e isto dói na nossa pele.

Meu sonho sempre foi ser uma mãe legal para a minha filha adolescente.

Como contei no post “Eu não nasci para ser mãe“, eu me preparei muito para ser mãe de adolescente e queria mesmo ser a mãe mais legal do mundo.

Doce ilusão!

Logo que a minha filha se tornou pré-adolescente, percebi que seria impossível ser sempre legal.

Por mais que eu me esforçasse, haveriam ocasiões em que eu teria que ser chata.

Pegar no pé, dizer não, ser incisiva, dar bronca, castigo, etc.

Para os pais serem legais, pelo temos que ter ajuda dos filhos

Em primeiro lugar, eu reconheço que tem muito pai e mãe que é chato porque quer ou por preguiça de entender o lado dos filhos.

Eu mesma conheço vários! Mas aqui estamos falando de outro tipo de pais.

Daquele tipo de pai e mãe que realmente tenta ver o lado dos filhos.

E para que estes pais ponham em prática a sua vontade serem legais, é necessário que os filhos também sejam.

Afinal, não tem como ser legal com filhos irresponsáveis, que não cumprem acordos e regras, que não fazem as coisas na hora correta, etc.

Cada atitude dos filhos requer uma reação dos pais e quanto mais ações que demonstrem que os filhos não tem consideração ou não merecem confiança, menos legais serão os pais.

É mais ou menos como falei no post “A medida da liberdade é a responsabilidade“.

Ser legal é muito mais legal do que ser chato!

Ser legal é muito mais legal do que ser chato!

Com isto em mente, os filhos podem começar a pensar em serem legais com os pais, assim como os pais podem começar a pensar em serem legais com os filhos.

Não tem prazer maior na vida do que ver filhos felizes por poderem confiar nos pais e na reação acertada deles.

Nada vai, jamais, substituir isto!

Por isto, ser autoritário é chato e desgastante tanto para pais como para filhos.

Os filhos passam a não confiar nos pais como pessoas que possam lhes ajudar nas situações.

Por outro lado, filhos que não colaboram, como falamos no tópico anterior, também são complicados e exigem pais muito mais duros.

Família é muito mais partilhar do que qualquer coisa

Se todos colaboram, a família passa a ser mais legal para todos.

O ambiente passa a ser prazeroso, portanto, todos vão querer estar juntos mais vezes, o que torna isto cada vez menos obrigação.

Então, para que sejamos pais legais, é importante que tenhamos filhos legais.

Mas também, vale lembrar que para termos filhos legais, é importante que os pais demonstrem a boa vontade de serem legais, flexíveis e compreensivos com a fase dos filhos.

Todo mundo cede, todo mundo é mais feliz

Se todo mundo ceder e se esforçar um pouco, tudo fica melhor para todos.

Que tal cultivar um ambiente familiar melhor?

Se você é o filho, seja mais responsável, demonstre mais interesse em fazer as coisas no tempo certo e bem feitas.

Se você é o pai ou a mãe, demonstre interesse em entender o lado dos filhos e ajuda-los a superar as dificuldades.

Tudo muda quando a gente muda!

Me tornei mãe aos 24 anos, um ano após ter perdido a minha mãe. Tudo ia bem, quando aos 29, fiquei viúva de forma trágica e me vi como mãe solo. Aos 33, conheci o meu atual marido e aos 35, minha filha (com 10 anos na época) sofreu um acidente num pula-pula que a deixou 7 meses em uma cadeira de rodas e com grandes chances de sequela. Após dois anos do acidente, resolvi criar o blog e aqui estamos, vivendo juntas a emoção da maternidade durante a fase da adolescência. Mas não só isto!

Comments

comments



Comments are closed.