Carta aberta aos pais de adolescentes * Mãe de Adolescente

Carta aberta aos pais de adolescentes

0

Uma carta aberta aos pais de adolescente, para que se lembrem de como éramos e de como eram os nossos pais.

 

São Paulo, 28 de Dezembro de 2010.

Queridos pais e mães de adolescentes,

Eu sei o quanto é complicado entender o mundo dessa molecada e também sei como é difícil nos fazermos entender por eles.

Agora, pense no quanto foi difícil para os nossos pais nos entenderem quando éramos adolescentes?

E em como foi difícil para nós sermos ouvidos,  levados a sério naquela época?

Cá entre nós, como nossos pais erraram, né? Para alguns de nós ainda hoje restam sequelas:

– quantos pais foram intolerantes, ao invés de nos explicarem como as coisas funcionavam?

– quantos foram agressivos e violentos, a fim de nos impedir de pensar por nós mesmos?

– e omissos? Quantos deles nos deixaram fazer tudo à toda hora e nem ligavam se estávamos bem ou não?

– fora os que, para nos proporcionar bem estar e coisas materiais, viviam trabalhando e nunca estavam dispostos nem mesmo a uma risada, que fosse?

– sem contar os pais que faziam atrocidades, violência sexual, moral, psicológica, etc, também…

Para muitos, superar isto demorou muito.

A dor das humilhações a que foram submetidos não passa nunca e sabe-se lá se algum dia vai passar.

Agora, digam-me: que tipo de pais vocês tem sido para seus filhos?

Preconceituosos, tanto ou mais que seus pais?

Duros e incapazes de orientarem, mas permitirem seus filhos de tomarem as próprias decisões?

Insensatos e intolerantes, a ponto de NÃO entender que nesta fase da vida em que eles estão, tudo parece mais, que os hormônios tem vida própria e que a sensação de que só se pode saber como é depois de experimentar, faz parte?

Será que alguma vez se colocaram no lugar deles e puseram-se a ouvi-los e compreendê-los? Ou sempre exigiram deles que os ouvissem sem questionar e apenas acatassem?

Então, papais e mamães, meu apelo é para que deixemos de ser pais acomodados ou agindo como se tratar nossos filhos de maneira a não lhes dar as chances de serem quem devem ser por si mesmos, poderia nos ajudar a vingar tudo o que sofremos.

Lembrem-se: não foram seus filhos quem lhes criaram e não serão eles quem deverão arcas com as dívidas de seus pais.

Sejamos os adultos das relações, abramos nossas guardas, paremos de nos portar como juízes de caráter e experimentemos a sensação de merecer a confiança de nossos filhos, permitindo-os serem ouvidos.

Isto não só fará bem a eles como também, infinitamente, a todos nós.

E só assim, só mudando nossa geração de pais, é que poderemos ter certeza de que estaremos formando uma nova geração de filhos. De bons filhos!

E tenhamos sempre em mente que aos criarmos filhos, estamos criando indivíduos e não continuações de nós mesmos, muitos menos responsáveis por realizarem nossas expectativas e superarem nossas frustrações.

Atenciosamente,

Mãe de Adolescente | Thatu Nunes

Comments

comments

About Author

Mãe da Gigi, trabalho com marketing, amo tecnologia e simpatizo muito com o lado nerd da cultura pop. Hard user de redes sociais, adoro escrever. Criadora do LogicaFeminina.com.br, colunista no EntreTodasAsCoisas.com.br e no Superela.com, também cuido de algumas contas de clientes por aí.

Leave A Reply