Será que os adolescentes são o reflexo dos pais? • Mãe de Adolescente

“Adolescentes são o reflexo dos pais” é uma sentença proferida ao Deus dará. Mas será que ela é correta?

Durante muito tempo eu acreditei no tal do “adolescentes são o reflexo dos pais” e nem sequer parava para pensar a respeito.

Eu adolescente

Bastaria eu ter pensado uns 10 segundos em como eu era quando adolescente para saber que não é bem assim.

Eu não tinha nada a ver com a minha mãe. NADA.

Muita gente insistia em dizer que tínhamos muito em comum, mas se todos parassem para observar iam ver que a minha mãe era rancorosa e eu não, por exemplo.

Na verdade, eu sou a exata antítese da minha mãe, que era extremamente conservadora e eu, ao contrário.

Só de pensar em mim mesma adolescente, eu já saberia que esta sentença de que os adolescentes são o reflexo dos pais não é verdadeira.

Adolescentes e o efeito manada

Ontem aconteceu algo bem chato com a Gi que inclusive foi o que me motivou a escrever este post.

Para resumir, Gi faltou na segunda porque tinha exames, aí chegou ontem e estava tendo confraternização da sala, mas como ela e a amiga que também faltou segunda não levaram nada, eles fizeram questão de dizer que elas não poderiam comer nada.

Ela ficou super constrangida, tanto que me ofereci pra levar algo, mas ela só queria ir embora, tamanho climão que ficou.

No primeiro momento, eu tive a reação de 99% dos pais que é ficar puta com a mesquinhez dos jovens e achar que é culpa dos pais que não os educaram direito.

Mas aí parei para pensar e lembrei de N situações em que eu, mesmo não tendo sido mesquinha, não me opôs a alguém sendo.

Então lembrei do efeito manada: bastou uma ou duas falarem que elas não poderiam comer para todos os demais simplesmente acatarem, mesmo achando errado.

Tudo para não se oporem aos líderes, para não se sentirem também excluídos como elas, que estavam sendo.

Assim acontece também no bullying.

Então, novamente, mesmo que os pais eduquem muito bem, corre-se o risco de na hora H o filho sentir-se inseguro, com medo de se opor e acabar fazendo parte da manada de jovens fazendo cagada.

“Mas então nenhum filho é fruto de má educação?”

Não foi isto que eu falei!

Aliás, eu até acho que grande parte dos filhos reflitam um pouco ou muito do que aprenderam ao longo da vida em casa.

Mas a questão aqui não é esta.

A questão é afirmarmos com tamanha veemência que o jovem que faz algo é, certamente, negligenciado pelos pais.

É o nosso ímpeto de julgar os pais sem saber nada sobre o histórico familiar e ignorando todas as nossas próprias vivências juvenis.

E o pior de tudo: ignorando que podemos ser nós, os próximos pais a cairmos nesta cilada.

Afinal, o filho de ninguém está isento de fazer merdas até o fim da adolescência.

Então fica aí a minha reflexão de hoje: Adolescentes são reflexo dos pais?

Eu, do alto da minha empatia, acho que não. Acho que eles são indivíduos propensos cheios de necessidade de integração, reféns do efeito manada e desesperado por algum reconhecimento dentre os demais jovens.

Então pensando nisso, antes de julgar, bora tentarmos não fazê-lo? Bora!

<3

Me tornei mãe aos 24 anos, um ano após ter perdido a minha mãe. Tudo ia bem, quando aos 29, fiquei viúva de forma trágica e me vi como mãe solo. Aos 33, conheci o meu atual marido e aos 35, minha filha (com 10 anos na época) sofreu um acidente num pula-pula que a deixou 7 meses em uma cadeira de rodas e com grandes chances de sequela. Após dois anos do acidente, resolvi criar o blog e aqui estamos, vivendo juntas a emoção da maternidade durante a fase da adolescência. Mas não só isto!

Comments

comments